31/01/10

Party!

Num óbvio ímpeto de loucura, juntei a festa da escola do meu filho com a festa da escola da minha sobrinha. Convidámos 46 miúdos, tivemos 41, entre convidados e irmãos mais velhos ou mais novos que quiseram ficar connosco, fizemos dois bolos lindos (um castelo de sonho de princesas e uma ilha do tesouro com vulcão e tudo). Eu e a minha irmã demorámos 2h30 a fazê-los, com a ajuda da minha sobrinha mais velha, num serão de galhofa e músicas variadas.
- combinámos ir tirar um curso para aperfeiçoar as patetices que não soubemos corrigir.
A seguir às 2h30 de decorar bolos fomos desenhar e pintar painéis de dois metros por um para enfeitar a sala onde fizemos a festa. Tivemos uma palmeira, um castelo no cimo duma montanha, um barco de piratas e um crocodilo com sangue a sair dos dentes.
Os 41 pequenos piratas e princesas portaram-se à altura, estavam cheios de fome e de sede, comeram quase tudo o que pusemos na mesa, incluindo 50 queques, 50 sanduíches de fiambre ou queijo, 50 mini-palmiers, 30 mini-croissants de fiambre ou queijo, duas embalagens de meio quilo cada de lagartas, e as únicas coisas que foram menos devoradas foram os bolos - como só soprámos as velas no finzinho da festa muitos miúdos já tinham os pais à espera.
Esqueci-me da máquina fotográfica por isso tenho de pedir as fotos à minha irmã para pôr algumas aqui, obviamente sem putos, só com painéis e com bolos.
Agora só há mais para o ano.

29/01/10

Seis aninhos

O meu filhote já tem seis aninhos. Viu a chegada da data com uma emoção que antes não tinha sentido, nem aos cinco. Esteve tão contente e tão feliz da vida com a antecipação da festa do colégio e a da família que se apagou pouco passava das 22h e acordou às 9h30 - para quem costuma acordar às 7h no matter what é radical.

Ontem não consegui vir cá um bocadinho, porque estive a organizar as três festas típicas. Não me chateio nada, gosto, mas é um bocadinho cansativo, especialmente se se estiver com uma coisa qualquer tipo gripe ou tipo resfriado que dá muitos arrepios e frio generalizado.

24/01/10

In-coe-rên-cia

Há uma hora do dia em que desejo profundamente que vão para a cama e que adormeçam. Potencialmente, se se arrastarem ou se não se mexerem à velocidade desejada, posso chatear-me, posso ficar irritada, posso ser chatinha. Eu sei.
Nem cinco minutos depois, desejo profundamente encaracolar-me nas camas ao vosso lado a dar-vos beijinhos e a fazer-vos festinhas nos cabelos. Adoro-vos miúdos.

E hoje queria scones das senhoras do Rato e chá quentinho a fumegar sem pensar em proteger as crianças da bebida a ferver no bule e na chávena. Só com a minha mãe e a minha irmã. Sem ter de ir a correr para ir buscar os miúdos ao colégio (não vejam isto como uma traição miúdos, mas não é o tipo de ambiente que vocês já saibam apreciar, qualquer dia quando forem um nadinha maiores).

23/01/10

Sabes mãe?

"Já sei ler. si-cal, ca-fe, gla-ciar, pão, ca-fe-ta-ria, ni-co-la, bo-los, cam-pa-nha, ca-ma-ra..." E o ar esgazeado "onde é que há mais coisas para ler?", disparando em todas as direcções, os parquímetros, os postes da luz com anúncios, a loja dos frangos "ca-poei-ra" e "hoje à noite sou eu que leio a história, ok mãe?"
Não estava a contar com isto hoje. Que orgulho - eu sei que isto ia acontecer, mais cedo ou mais tarde, mas não estava a contar que fosse ainda na pré-primária. Portanto, o meu bebé que para a semana faz seis anos já sabe ler. Para comemorar feita parva que isto de amor de mãe babada dá para fazer muitos disparates apanhei uma barrigada de batatas doces fritas. E sou capaz de estar um pouco enjoada.
"Ba-ta-ta"
E a mais pequena?
"mãe o que é que quer dizer t-a-f-t-a-f?"

22/01/10

É foleiro pensar hoje no Verão?

Guilty

Só para facilitar, para não dar trabalho, para não preocupar, para não abrir o coração, para não dizer "dói-me a perna", "doiem-me as cruzes", "dói-me o coração", "dói-me a alma", "doiem-me os dedos", "tenho comichão no olho", "precisava de ir à depilação", "não tenho dinheiro", "tenho fome"...

É muito mais simples dizer "tudo bem" quando nos perguntam como estamos. Até porque, na maior parte das vezes, quem pergunta também só quer ouvir "tudo bem". O resto dá muito mais trabalho.

A imagem é do site que adoro Learn something everyday.

20/01/10

O que é que diz?

"Mãe, o que é que diz b-r-u-x-a?
- bruxa
"mãe, o que é que diz b-o-m-b-e-i-r-o-s?
- bombeiros
"mãe, o que é que diz c-a-f-e?
- café

O dia todo, todo, todo. É lindo!!!

A mais pequena não quer ficar atrás, por isso, enquanto o irmão pergunta o que vai lendo ela pergunta sem se distrair e repete as vezes todas que for preciso ao longo do dia:
"mãe, o que é que diz t-a-f-t-a-f?
"mãe, o que é que diz t-a-f-t-a-f?
"mãe, o que é que diz t-a-f-t-a-f?
- não quer dizer nada, mas se usares essas letras podes chegar a muitas palavras, t de torta, a de amor, f de férias, t de totó, a de amigo, f de festa...
e por aí fora. O dia todo. É lindo!!!

19/01/10

Dois furinhos

A minha t-shirt, de que gosto muito, tem, quase desde que a comprei, dois furinhos mesmo à frente, debaixo dos olhos de toda a gente.
Não dá para reparar - ficava ainda mais óbvio.
Eu finjo que não percebo. Nunca ninguém se queixou. Gosto imenso de andar com ela. Tenho pena de ter de a deitar fora.

15/01/10

Olá tio, está bom?

[constatação] Olha olha, está ali um tio meu a olhar para mim

[exibição] sorriso antecipando cumprimento

[reflexão] espera lá, não é meu tio, é o Tozé Martinho, não o conheço de lado nenhum, que vergonha, a não ser da televisão, mesmo simpatizando com ele desde pequenina.

[suspiro de alívio] ainda bem que não o cumprimentei como se fosse meu tio e me limitei a fazer um sorriso simpático.

14/01/10

I'm a bitch...

I'm a bitch, I'm a mother, I'm a sinner, I'm a lover...

"mãe, bitch é praia não é?"
...
"sim filho, escreve-se b-e-a-c-h, beach, boa acertaste"
...
sorriso de orgulho no banco de trás.
sorriso de alívio no banco da frente.

13/01/10

Que terror

Não consigo evitar um grande "gulp" quando ouço notícias de terramotos ou quando vejo as imagens dos estragos. É que com a vida normal que temos os códigos sociais são mais ou menos estáveis - agora no meio do caos? Como se gere a vida? Isto para já não falar do horror das abanadelas, do medo das replicas, das fugas de gás, dos prédios a cair (!!!), das crianças... De perder tudo ou, pior, de perder todos. É foleiro dizer isto e eu nem sequer sou muito católica, mas as minhas orações vão para o Haiti.

Muitas vezes quando estou sozinha fico a olhar para as nossas coisas a pensar: "se calhar podíamos prescindir disto" ou "daquilo", podíamos não ter 500 livros, nem 500 CD, podíamos ter muito menos roupa, muito menos de tudo. E podíamos continuar a ser felizes.

12/01/10

Meio meio

O dia começou mal, com sono e com pouca vontade de despachar os miúdos empurrando-os da cama para a casa de banho, da casa de banho para o quarto, do pijama para a roupa do dia, daí para o pequeno-almoço, depois para a casa de banho - lavar dentes, cara e mãos, fazer xixis e cocós, limpar, lavar outra vez as mãos, pôr a bata, pôr o casaco, pôr gorros, pôr casaco impermeável, chamar o elevador, fechar a porta, descer, está a chover a potes, o chão está cheio de poças, o vento dobra o guarda-chuva, tenho de o fechar, a mais pequena berra porque lhe caiu uma pinga no gorro, abro a porta do carro, será que hoje vai abrir as portas todas ao mesmo tempo ou só abre uma?, só destrancou uma, tenho de a abrir para destrancar as outras, sem guarda-chuva, com os miúdos à chuva, sem gorro... Todos dentro do carro até à escola, falamos sobre o dia, tal e tal, tudo bem disposto, chegamos à escola a mais pequena não quer ficar, e quer que toda a gente o saiba, por isso, berra a plenos pulmões, agarra-se à minha perna e não a consigo soltar...

Passados cinco ou dez minutos disto, lá consigo que alguém lhe pegue ao colo e saio a correr, com o coração do tamanho de uma etiqueta pequenina pequenina. Depois do almoço passo por lá para saber como ficou, ficou bem (claro que ficam bem, ficam sempre bem, só que às vezes resolvem fazer os pais sentirem-se péssimos)...

O almoço compensou este começo meio mau (apesar de ter comido duas coisas às quais sou intolerante, o que fez com que tenha ficado com a cara assim meio avermelhada) e quando chegarmos a casa os três daqui a bocado vamos lanchar, eles comem uns croissants de aspecto delicioso que trouxe hoje de manhã e eu como as minhas torradinhas de intolerante e um iogurte. E depois vamos arrumar os brinquedos para podermos brincar.

07/01/10

IUPI

Acabei de receber no correio a confirmação da minha inscrição num curso Le Cordon Bleu em Março em Paris!!! Estou tão contente - especialmente porque o curso foi surpresa total de Natal do meu maridinho, elevado automaticamente ao estatuto de "A Pessoa Mais Querida Do Mundo". Há maridos que oferecem Bimbys às mulheres (o que também é simpático) e há maridos que oferecem cursos Le Cordon Bleu às mulheres que têm o profundo e secreto desejo de saber tudo sobre cozinha. Merci merci merci.
P.s. O extâse/contentamento é enfatizado por ter ido ver o filme Julie & Julia há dois dias - mas a escolha do curso foi total mérito dele. Eu não tive mesmo nada a ver com isso.

05/01/10

Alucinação

Eu sei que ando a gabar-me de estar cheia de energia, mas os meus filhos estão loucos! Deve ter qualquer coisa a ver com a fase dos-quase-seis-anos no caso dele e dos-acabados-de-fazer-três no caso dela. É a loucura - estão completamente enlouquecidos. São capazes de passar as horinhas que temos juntos depois da escola - que é suposto ser quality time - aos berros. Mesmo com energia, não há paciência. Assim que os deito só me apetece deitar-me também para repor as energias, mas tenho tanto trabalho para fazer que não dá.

p.s. tenho os dedos gelados, não consigo dobrar o indicador direito, por isso escrever isto é vagamente doloroso.

Cumprimentos

Gosto de dar e adoro receber. O Ano está a correr-me bem em matéria de cumprimentos.

03/01/10

3ª semana

Amanhã chega ao fim a terceira semana de alimentação orientada pelas intolerâncias. Preciso de fazer um furo no cinto, as calças caiem-me, perdi quatro quilos - com o Natal e o Ano Novo pelo meio. A coisa mais espectacular - não me apetece comer as coisas que não posso comer, apetece-me comer amendoins com sal e coisas desse estilo. Além disso, (bato na madeira) sinto-me bastante aliviada do nariz e cabeça. E o melhor de tudo - a energia!!!

01/01/10

Ontem

Ontem, enquanto preparava as mochilas para ir passar o ano a casa da minha irmã, tive um breve momento de felicidade espectacular ao pensar que estarias lá. Foi tão puro, tão in the blink of an eye que nem tive tempo para fazer grandes planos. Estavas lá e pronto. Nem sei bem, não consigo imaginar-te bem uma vida. Acho que terias sempre o mesmo ar tranquilo, contente e bem disposto. Acho que devias delirar com os miúdos.
E o momento foi tão breve que nem sequer deu para ficar terrivelmente desanimada quando percebi que era só wishfull thinking. Foi só um ligeiro encolher de ombros, do estilo, ah estava só a sonhar. E depois o pensamento normal "não estás fisicamente, só não estás fisicamente".

e...

E além disso, quero celebrar os dez anos de casamento como deve ser. Só tenho de estabelecer um orçamento.

2010

As minhas decisões de Ano Novo:

- ter mais tempo para fazer coisas de que gosto (ir almoçar fora, ir passear ao Chiado, ir jantar fora, ir ao cinema, ir passar fins-de-semana em sítios giros...);
- ter mais paciência para os miúdos;
- manter o plano das intolerâncias alimentares, está a dar óptimo resultado, sinto-me muito animada e cheia de energia;
- fazer coisas criativas - o resultado é excepcional;
- organizar as fotografias;
- arrumar o escritório todinho (incluindo rasgar papéis com mais de cinco anos), eventualmente tirar o sofá de trás da minha cadeira;
- escolher as meias e cuecas;
- seleccionar os sapatos;
- ensinar os miúdos a tocar piano;
- reaprender a tocar piano;
- aprender a viver com o indispensável (esvaziar o armário das caixas de plástico e despachar as que não funcionam, dar livros e brinquedos fora de uso, ...);
- telefonar mais aos amigos;
- ter mais tolerância;
- esperar menos das pessoas;
- ser feliz...